• 0 votos - 0 média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
cissexismo
#1
destrua a ideia de que uma pessoa precisa ser literalmente um estereótipo de seu gênero para dizer ser de tal gênero (ninguém é)

destrua a ideia de que uma pessoa precisa de disforia para ser trans

destrua a ideia de que uma pessoa precisa fazer transição para ser trans

destrua a ideia de que uma pessoa precisa ter certeza absoluta que seu rótulo está certo para adotá-lo
  Responder
#2
e também destruam a ideia de que pessoas trans ou não-binárias querem forçar outras pessoas a serem trans ou não-binárias baseando-se em normas de gênero, plz.
  Responder
#3
Que também destruam a ideia de que uma pessoa que quer fazer transição tem a possibilidade de ser só uma pessoa cis participando de modinha que não sabe dos riscos, plz.
  Responder
#4
Acho que destruímos as identidades de gênero já...


Não existe mais fórmula pra ser nada, estas identidades de gênero são só nomes pra caixas onde nos colocamos (eu queria saber pq a gente faz isto, mas parece que a resposta é tão subjetiva e pessoal que parece que ela é vaga, parece que tem que sempre existir um "nós" e um "eles outros"), nos colocamos nestas caixas por razões pessoais e tb pq identidade de gênero existe... aliás, quando não encaixamos em nenhuma das caixas já existentes, o cistema nos dá 2 opções , entrar pra caixa das pessoas que não tem caixa (agêneros ) , o q é uma ironia, ou criamos uma nova caixa (maveriques ).

É muito triste perceber que a existencia deste cistema de identidades de gênero no começo foi justificada por ter sido uma criação sexista, misogina, homofóbica e transfobica pra separar seres humanos em caixas por causa de suas genitais e força los a se comportarem e terem papéis específicos atribuídos a cada caixa e formando uma hierarquia. Este cistema era uma e ainda é uma hierarquia onde certos grupos com certos comportamentos dentro destas caixas são mais privilegiadas do que outros.

Depois de libertarmos as caixas dos estereótipos, papéis de gêneros, genitais e expressões de gênero, p q elas ainda existem ? Sem fórmulas pra justificar identidades de gênero, qualquer um pode ser qualquer coisa dentro deSta hierarquia então. Se vc ser homem por causa dos privilégios deles, vc pode se identificar assim.

Eu não entendo esta [palavra estigmatizada capacitista]... eu acho que esta hierarquia, este cistema e estas caixas com grupos privilegiados não deveriam existir mais... mas mesmo assim. .. Se elas não existissem, pessoas ainda seriam descriminadas por existirem, por gostarem de tal, por se comportarem tal... Este mundo está perdido.


Acho que pra ter alguma identidade de gênero, na atualidade, é só querer pertencer a algum lugar ou gostar de usar algum rótulo.


Já tentaram explicar a identidade de gênero de vcs sem usar estereótipos, papéis de gênero, comportamentos , expressões de gênero , corpo, biologia, religião ou crença ? A única conclusão que eu cheguei foi a do parágrafo acima , a mesma coisa aconteceu com a minha mãe.

Eu realmente me pergunto por que pessoas se identificam com mulheres ou não-binaries se estes gêneros são tão oprimidos.
  Responder
#5
3004 escreveu:Acho que destruímos as identidades de gênero já...

Esse post tem muito o que ser discutido, então vamos lá, por partes.

Primeiramente, não. Não destruímos identidades de gênero, muito menos "destruímos" gêneros. A sociedade ainda continua utilizando "homem" e "mulher" como únicas identidades válidas, independente de quantas identidades de gênero forem criadas, não importa se existir apenas 1 identidade não-binária, ou infinitas identidades que a sociedade não vai de repente começar a aceitar identidades não-binárias. E sinceramente, duvido que a sociedade vá mudar a ponto de não existir mais o sistema binário de gênero em um futuro próximo, no mínimo temos aí mais alguns milhares de anos até ter alguma possibilidade da sociedade mudar seus conceitos de gênero em geral, o que deixa o argumento sobre a "abolição de gênero" quase irrelevante na atualidade.

3004 escreveu:Não existe mais fórmula pra ser nada, estas identidades de gênero são só nomes pra caixas onde nos colocamos (eu queria saber pq a gente faz isto, mas parece que a resposta é tão subjetiva e pessoal que parece que ela é vaga, parece que tem que sempre existir um "nós" e um "eles outros"), nos colocamos nestas caixas por razões pessoais e tb pq identidade de gênero existe... aliás, quando não encaixamos em nenhuma das caixas já existentes, o cistema nos dá 2 opções , entrar pra caixa das pessoas que não tem caixa (agêneros ) , o q é uma ironia, ou criamos uma nova caixa (maveriques ).

Primeiramente, agênero não significa "falta de caixinha" ou "falta de rótulo". Primeiro você tem que entender o que é um gênero antes de entender agênero, já que agênero não é propriamente um gênero, mas sim uma identidade (uma posição) de gênero, é onde a pessoa se situa no espectro de gênero. Ser não-binário é também uma questão de inabilidade de existir confortavelmente ou autenticamente dentro do binário cultural de gênero, que muitas vezes, mas não sempre, pode envolver disforias, desconfortos e sofrimentos quando os papéis binários de gênero são impostas.

3004 escreveu:É muito triste perceber que a existencia deste cistema de identidades de gênero no começo foi justificada por ter sido uma criação sexista, misogina, homofóbica e transfobica pra separar seres humanos em caixas por causa de suas genitais e força los a se comportarem e terem papéis específicos atribuídos a cada caixa e formando uma hierarquia. Este cistema era uma e ainda é uma hierarquia onde certos grupos com certos comportamentos dentro destas caixas são mais privilegiadas do que outros.

Depois de libertarmos as caixas dos estereótipos, papéis de gêneros, genitais e expressões de gênero, p q elas ainda existem ? Sem fórmulas pra justificar identidades de gênero, qualquer um pode ser qualquer coisa dentro deSta hierarquia então. Se vc ser homem por causa dos privilégios deles, vc pode se identificar assim.

Ninguém está realmente livre dos estereótipos e dos papéis de gênero da sociedade, é impossível se isolar totalmente da sociedade a ponto de que gêneros se tornem irrelevantes. Simplesmente é impossível. Segundo, a necessidade de se criar rótulos são vários, que vai desde a necessidade taxológica e epistemológica humana, de classificar como a pessoa vivencia o seu gênero (ou falta dele), a necessidade de entender a sua identidade num contexto de gênero global, comparando com outras identidades de gênero existentes, como também existe a necessidade de compartilhar e comparar experiências com outras pessoas que tenham experiências semelhantes. Pedir para uma pessoa largar seu rótulo ou para a pessoa se identificar de outra maneira acaba virando uma forma de negação do direito de auto-identificação e também acaba virando um pedido para que as pessoas descartem seu rótulo que serve para o auto-entendimento, para encontrar pessoas com experiências semelhantes e para coletivamente ser usado para pedir reconhecimento e direitos. Pedir para uma pessoa parar de usar rótulos é efetivamente dizer para a pessoa "calar a boca e desaparecer".

Eu acho importante notar que esses tipos de pedidos são frequentemente feitos para pessoas trans e não-binárias em geral. Raramente (ou nunca) é feito para uma pessoa cis utilizando seus rótulos de gêneros. Você não vê muitos pedidos para que pessoas cis deixem de rotular as pessoas como "homens" ou "mulheres", ou pedidos para abolir identificadores de gêneros em formulários ou em certidões de nascimento.

3004 escreveu:Eu não entendo esta [palavra estigmatizada capacitista]... eu acho que esta hierarquia, este cistema e estas caixas com grupos privilegiados não deveriam existir mais... mas mesmo assim. .. Se elas não existissem, pessoas ainda seriam descriminadas por existirem, por gostarem de tal, por se comportarem tal... Este mundo está perdido.


Acho que pra ter alguma identidade de gênero, na atualidade, é só querer pertencer a algum lugar ou gostar de usar algum rótulo.

Como expliquei acima, a hierarquia binária de gênero vai acabar continuando a existir na sociedade independente dos rótulos não-binários, isso por tempo indeterminado. Então não há muito o que discutir aqui nesse caso.

Já identidade de gênero, também como expliquei acima, é muito mais do que "querer um rótulo", já que o rótulo é apenas um fruto da existência, uma epistemologia, e não é a causa do gênero (ou da ausência dele). E também como expliquei, a necessidade é muito mais complexa do que simplesmente "querer ter um rótulo diferente".

3004 escreveu:Já tentaram explicar a identidade de gênero de vcs sem usar estereótipos, papéis de gênero, comportamentos , expressões de gênero , corpo, biologia, religião ou crença ? A única conclusão que eu cheguei foi a do parágrafo acima , a mesma coisa aconteceu com a minha mãe.

Eu realmente me pergunto por que pessoas se identificam com mulheres ou não-binaries se estes gêneros são tão oprimidos.

A definição de gênero inclui a definição de papeis de gêneros, dentro de um contexto cultural. Então é óbvio que não tem como explicar gênero, ou identidade de gênero sem esses conceitos.

As pessoas podem se identificar como mulheres ou como pessoas não-binárias pelo motivo que citei acima. Simplesmente, para algumas pessoas é impossível (ou até danoso à saúde mental), viver dentro da imposição cultural de certos papéis de gêneros binários, existem pessoas que não se sentem bem, ou que não conseguem viver de forma honesta ou autêntica sendo homens, que tem toda a bagagem social e biológica, papéis que são impostos pela sociedade. Não é uma questão de viver com uma identidade que sofre menos opressão pela sociedade, já que a sociedade não vai começar a te tratar melhor se você começa a se identificar como homem, sem contar que mulheres trans não são assassinadas diariamente porque simplesmente querem um rótulo diferente.
  Responder
#6
Quando eu falei que destruímos o sentido original da identidade de gênero, estou me referindo ao fato de vc andar na rua e não saber mais o que é um homem, uma mulher ou outro. Até
em encontros entre gente não-binaria, nem eles mesmos reconhecem pessoas com a mesma id de gênero.
A maioria das pessoas vai pelo chute (huh, a pessoa é feminina, deve ser mulher ? Masculina , deve ser homem ? )


E sim, por um lado existem pessoas que se aproveitam de rótulos, embora não sendo a maioria das pessoas.


E vc chegou num ponto interessante , acho que mesmo que o ideal de gênero não existisse, pessoas que desejam ter o corpo de outro sexo ainda estariam na margem da sociedade junto com pessoas nascidas com vulvas e machos fracos.
  Responder
#7
se gênero não existisse como um conceito, não haveria opressão baseada em gênero

se gênero existisse, mas cissexismo não, não teria que ter porque ter "opressão baseada em genitália", porque pessoas afab poderiam ter acesso total ao privilégio masculino sem muitos problemas???

also, eu rly cuidaria como escrever esse tipo de coisa, parece que você está agrupando ˜pessoas nascidas com vulvas" em um grupo só, como se "opressão baseada em sexo" fosse uma coisa :/
  Responder
#8
Dependo do grau de opressão. .. a mulher Trans não nasceu com vulva mas sofre mais que a mulher cis gnc, tipo tem toda uma porcaria duma hierarquia.


Eu ainda me pergunto como fulano deixa de ser homem cis gnc pra ser mulher trans gnc.

Tem muitos casos de pessoas transmasculinas que transicionaram pra ganhar privilégio masculino e se arrependeram . Principalmente quando se fala do feminismo radical que se aproveita destas histórias.
  Responder
#9
3061 escreveu:Dependo do grau de opressão. .. a mulher Trans não nasceu com vulva mas sofre mais que a mulher cis gnc, tipo tem toda uma porcaria duma hierarquia.


Eu ainda me pergunto como fulano deixa de ser homem cis gnc pra ser mulher trans gnc.

Tem muitos casos de pessoas transmasculinas que transicionaram pra ganhar privilégio masculino e se arrependeram . Principalmente quando se fala do feminismo radical que se aproveita destas histórias.

Não acho certo dizer que existe uma hierarquia, até porque existe as mais diversas experiências possíveis. Assim, uma mulher trans branca pode sofrer misoginia e transfobia, enquanto que uma mulher cis negra pode sofrer misogina e racismo. São eixos de opressão diferentes, não dá pra colocar numa hierarquia.

E acho errado generalizar e dizer que mulheres trans eram homens cis gnc no passado, até porque isso soa como um baita de um misgendering. Eu, como mulher trans, nunca fui um "homem cis gnc", nem sequer fui um "homem", e nem fui socializada como homem. Tem mulheres trans que dizem que eram homens antes? Tem, mas está longe de ser a regra.

As pessoas podem se arrepender sim, e os motivos são muitos, não dá pra generalizar também, uma pessoa pode desistir da transição por pressão da sociedade (ou de pessoas próximas), pode desistir por depressão, ou porque nunca eram de um gênero binário de verdade, ou porque simplesmente mudaram de ideia, etc. Não acho que pessoas transmasculinas transicionam pra ganhar privilégio, assim como pessoas transfemininas não transicionam para perder privilégio. Pensar isso é exatamente a ideologia radfem.
  Responder
#10
Depende , exemplo, eu sou uma mulher trans e dentro da milha cabeça eu preferia ser vista como mulher pela sociedade... mas porém eu não tenho problemas com o meu corpo e minha expressão de gênero, aliás eu não tenho problema nenhum em levar misgendering, como pra mim parece que minha id de gênero não faz tanta diferença , eu prefiro viver dentro do armário e guardar está identidade só pra mim, assim não preciso enfrentar a realidade cruel e transfobica misogina e mudar a minha vida drasticamente pq eu poderia perder amigos , família e emprego... e tipo como eu não reclamo do meu corpo, nem de como me comporto nem nada, pra que sair por aí dizendo que sou mulher ? Eu já sou uma , eu só preciso pensar que sou e sou.


Tipo eu escuto histórias assim de gente amab muito frequentemente... tipo tem realmente gente que não liga pra muita coisa apesar de ser trans e aí parece que sair do armário não traz vantagem nenhuma pra saúde física e mental delas. Muitas vezes elas vem de mulheres trans gnc. Principalmente de idade avançada e com vida já feita.

Com gente afab nb eu tb escuto histórias curiosas, muitos dizem que quando são FORÇADOS a escolher entre homem e mulher , preferiram homem.
  Responder


Possíveis tópicos relacionados...
Tópico: Autore Respostas: Visualizações: Última mensagem
  Sobre aquela citação da Simone de Beauvoir [cissexismo, transmisoginia] altedude 7 2.646 12-02-2018, 01:04 PM
Última mensagem: karymaAssemany
  TERFs e pessoas intersexo [diadismo, cissexismo, transmisoginia, genitais] altedude 1 875 22-01-2018, 07:06 PM
Última mensagem: Aster
  REGs [aviso de conteúdo: cissexismo, monossexismo, e por aí vai] Aster 9 2.524 04-07-2017, 01:07 PM
Última mensagem: Aster

Saltar para a área:


Usuáries vendo este tópico: 1 visitante(s)