Boas vindas, Visitante
Você tem que se registrar antes para poder postar no fórum.

Nome de tela
  

Senha
  





Pesquisar no fórum



(Pesquisa avançada)

Estatísticas do fórum
» Membres: 651
» Últime membre: tancheng
» Tópicos do fórum: 332
» Postagens do fórum: 1.749

Estatísticas completas

Usuáries Online
60 usuáries online no momento.
» 0 Membre(s) | 59 Visitante(s)
Yandex

Últimos tópicos
Sugestão: Tópicos não-lid...
Fórum: Fórum
Última postagem: jgreenlee
9 horas atrás
» Respostas: 5
» Visualizações: 4.635
Desordem Ambígua, "queerb...
Fórum: Opressões
Última postagem: jgreenlee
9 horas atrás
» Respostas: 3
» Visualizações: 3.143
Sobre a área Opressões [l...
Fórum: Opressões
Última postagem: jgreenlee
10 horas atrás
» Respostas: 7
» Visualizações: 6.191
Giveaway de jogos Steam
Fórum: Meta
Última postagem: jgreenlee
10 horas atrás
» Respostas: 5
» Visualizações: 4.406
Nomes neutros "inventados...
Fórum: Identidades
Última postagem: jgreenlee
11 horas atrás
» Respostas: 7
» Visualizações: 7.113
Mascunormatividade
Fórum: Opressões
Última postagem: jgreenlee
Ontem, 02:20 PM
» Respostas: 10
» Visualizações: 10.639
transneutralidade
Fórum: Identidades
Última postagem: jgreenlee
Ontem, 01:44 PM
» Respostas: 10
» Visualizações: 7.450
TODXS Embaixadorxs
Fórum: Identidades
Última postagem: jgreenlee
Ontem, 01:07 PM
» Respostas: 14
» Visualizações: 10.702
The Switch: A Fantastic T...
Fórum: Produções
Última postagem: jgreenlee
Ontem, 10:44 AM
» Respostas: 9
» Visualizações: 7.123
Dúvida sobre meu gênero
Fórum: Questionando
Última postagem: jgreenlee
Ontem, 10:02 AM
» Respostas: 7
» Visualizações: 8.066

 
  Tradução:
Postagem por: Uriel - 03-09-2022, 04:54 PM - Fórum: Identidades - Respostas (2)

Há um ditado comum no ativismo ace sobre identidades serem ferramentas; sobre, ao invés de tentar descobrir qual caixa é a "certa", você poder se sentir livre para pegar algo se for útil e para deixar de lado se não for.

Quero levar essa analogia um passo adiante e quero falar sobre como não há uma solução única para todas as aplicações quando se trata de identidades – e de ferramentas –; sobre como muitas vezes é necessário ter uma caixa de ferramentas completa, com cada ferramenta podendo ser usada de forma um pouco diferente.

Aqui estão apenas alguns exemplos das situações para as quais você pode precisar de diferentes identidades/ferramentas:

  • Identidade pode ser uma ferramenta utilizada para validação interna ou pessoal. Saber sobre um conceito referente à identidade pode ajudar as pessoas a provarem que não estão sozinhas, que não estão quebradas, que talvez porque não estavam se encaixando em nenhuma das outras caixas existentes foi porque havia uma ainda melhor que simplesmente não conheciam. Logo, a identidade pode servir como uma estrutura que ajuda a compreender e a processar os próprios sentimentos e as próprias experiências, mesmo que você nunca diga nenhuma uma delas em voz alta.
  • Identidade pode ser uma ferramenta utilizada para encontrar conteúdo relevante. Ter uma nova identidade para uma experiência específica permite que as pessoas indexem-na ao conteúdo associado a essa experiência e pesquisem por outras experiências similares. Assim, se você tem um termo, você tem algo que pode digitar no Google ou procurar pelas tags dos escritos, dos recursos, das comunidades, das pesquisas.
  • Identidade pode ser uma ferramenta utilizada para se conectar com comunidades que pensam da mesma maneira. Assim como você pode usar um termo para encontrar conteúdo relevante, você pode usar uma identidade para encontrar e se conectar com pessoas que pensam da mesma maneira, pesquisando por comunidades associadas a ela ou usando-a para transmitir algo sobre você mesme, tal como: "Ei, eu sou x, o que significa que eu experimento x! Se você também for x, talvez tenhamos alguma coisa em comum!"
  • Identidade pode ser uma ferramenta utilizada para comunicar aes outres algo diferente sobre si. Assim como a identidade pode ser usada como uma forma de sinalizar algo a seu respeito para pessoas que possivelmente sentem o mesmo, ela pode ser uma maneira de sinalizar aes outres que algo sobre suas experiências diferem das delus.

As identidades também são como ferramentas na medida em que variam na frequência com que são úteis, na adequação à tarefa em questão:

  • Algumas são ferramentas de uso geral, como facas suíças: São fáceis e úteis o suficiente para serem carregadas diariamente; são generalizáveis o suficiente para poderem ser usadas em quase todas as situações, podendo ser, com frequência, a primeira coisa que você agarra.
  • Algumas são ferramentas especializadas, como uma chave allen de 1,5 mm: Provavelmente, por você não usar com muita frequência, ela fica em casa em uma caixa fechada no armário. E, quando você a tira, é apenas para propósitos específicos – talvez apenas um ou dois de todos os anteriores –, ficando feliz de tê-la à mão.
  • Algumas não são a solução mais apropriada, mas podem fazer o trabalho, como usar um martelo e uma chave de fenda de cabeça chata para esculpir um pedaço de rocha: Não é para isso que foram projetadas, e talvez não sejam as ferramentas apropriadas para a ocasião, mas, quando é tudo ao que se tem acesso no momento, você sabe que ela está disponível como backup.
  • Algumas são mais sentimentais do que úteis (e isso não faz mal): Às vezes você tem ferramentas que antes funcionavam muito bem, mas que agora estão um pouco soltas ou um pouco enferrujadas ou não funcionam para o que é preciso. Mesmo assim, elas significam algo para você em um nível emocional, o suficiente para querer mantê-las em sua caixa de ferramentas e querer tê-las perto de você.

No final, eu tenho uma grande variedade de ferramentas por caixa. Quanto mais recolho, maior a probabilidade de ter algo à mão se eu precisar ou se eu encontrar alguém que também poderia usá-las.

— Link da postagem original: https://nextstepcake.wordpress.com/2020/...e-toolbox/


  Tradução: Essencialismo de identidade
Postagem por: Uriel - 03-09-2022, 04:35 PM - Fórum: Identidades - Sem eespostas

Essencialismo de identidade é um termo que você pode não ver muito fora de certos círculos, mas, se estiver interessade de alguma forma em discussões sobre identidade e sobre comunidades baseadas em identidade, acho que pode ser útil.

A raiz da palavra essencialismo é essência, sendo a chave para entender do que se trata: o essencialismo faz reivindicações sobre a essência de uma coisa, as qualidades inerentes que a definem, a verdade natural dela em toda a sua extensão. E, quando você aplica esse tipo de perspectiva à identidade, tem-se o que se chama de essencialismo de identidade.

"A grosso modo, essencialismo é a perspectiva de que as categorias têm uma realidade subjacente ou uma natureza verdadeira que não se pode observar diretamente, mas que dá a um objeto a sua identidade. Em outras palavras, segundo o essencialismo, as categorias (como "menino", "menina" ou "inteligência") são reais em vários sentidos: são descobertas (ao invés de inventadas), são naturais (ao invés de artificiais), predizem outras propriedades e apontam para descontinuidades naturais no mundo." – Susan A. Gelman, The Essential Child: Origins of Essentialism in Everyday Thought.

Uma das subcategorias disso que tem sido muito discutida é o essencialismo de gênero. Se alguém afirma, por exemplo, que a natureza da mulher é ser compassiva, está cometendo essencialismo de gênero – neste caso, por meio de uma afirmação sobre as qualidades inerentes e imutáveis da mulheridade.

Esse conceito também se aplica a outros tipos de identidades. Por exemplo, uma abordagem essencialista à orientação pode envolver dizer que "todes têm uma orientação sexual" e que, se não rotular a sua, você ainda não descobriu-a ou você está deliberadamente mantendo-a em segredo… mas você definitivamente tem uma, quer a descreva corretamente, quer não (e há uma resposta "correta" entre as duas). Se alguém afirma que sua orientação é inerentemente definida por um único fator, tal como "por quem você se sente atraíde", isso também é essencialismo de orientação.

Por razões óbvias, o essencialismo de identidade é tipicamente utilizado para apoiar o policiamento de identidades. Para dizer que alguém está "errade" sobre sua orientação ou seu gênero, em primeiro lugar, é preciso acreditar que existe algo como um certo ou um errado sobre o assunto. Você pode acreditar que está escrito em algum lugar do seu DNA, ou em alguma parte inerente da sua alma, ou em uma parte imutável presente em todas as pessoas, por exemplo. Por essa razão, o policiamento de identidades (em geral, e não somente em casos individuais) precisa envolver a defesa de uma abordagem mais flexível dos rótulos.

Em alguns casos, essencialismo de identidade se sobrepõe ao conceito de estereótipo, então você pode se perguntar por que é importante ter o primeiro quando já se tem o segundo. Ambos são bons, definitivamente, mas eu diria que há uma série de circunstâncias em que se pode querer evitar usar um em detrimento do outro, por um par de motivos:

1) "Estereótipo" implica que uma ideia é comum, imposta pela sociedade e/ou amplamente acreditada. Talvez você não queira usar a palavra para ideias que estão mais presentes em nichos, o que torna "essencialismo de identidade" viável. 

2) "Estereótipo" implica "ruim" (e, por extensão, que é bom que ele seja quebrado). Pode ser desconfortável dizer que se vive por um estereótipo, por exemplo, então você pode evitar esse termo quando não estiver tentando enquadrar algo como mau para a comunidade. Chamar isso de "essencialismo de identidade" ainda transmite o ponto sem deixar implícito que é ruim ou que parece ruim para quem exibir o traço em questão.



@sennkestra comentou:

Penso que outro problema é que, muitas vezes, pessoas rotuladas como "essencialistas" também pensam que a ideia de uma essência subjacente 100% pura é bobagem; elas apenas acreditam que talvez haja uma semi-essência misturada com todas as outras coisas, tendo mais dessa perspectiva do que alguém com uma perspectiva menos essencialista.

Isso faz com que eu me lembre de certos debates que surgiram quando estava fazendo um curso de história da sexualidade e que discutiam a ideia de essencialismo versus construcionismo social, com a primeira perspectiva defendendo que supostamente conceitos como homossexualidade estão presentes da mesma forma ao longo de toda a história e com a última perspectiva defendendo que definitivamente identidades como homossexualidade são construções sociais que não existem até que alguém as invente.

Na prática, quase ninguém defendeu uma perspectiva essencialista forte, mesmo ês escritories chamades de essencialistas; o que mais ocorreu foram pessoas argumentando que existem experiências ou traços essenciais que são moldados por nossas construções sociais e pessoas argumentando que podem haver experiências mínimas similares que estão presentes em todos os espaços, mas que, majoritariamente, tudo é uma construção social. Portanto, a questão é mais uma discordância sobre graus do que uma situação sim-não.

— Link da postagem original: https://www.pillowfort.social/posts/984818


  Como faço para criar uma nova orientação sexual?
Postagem por: LMAOlemão - 18-07-2022, 10:50 AM - Fórum: Identidades - Respostas (2)

Esses dias estou pensando que estão faltando algumas orientações sexuais que descrevam algumas pessoas, como faço para criar uma?


  sobre identidades colecionáveis
Postagem por: mistério - 14-07-2022, 06:59 PM - Fórum: Identidades - Respostas (1)

existem uma série de termos pra pessoas que "colecionam" termos pra identidades, sejam elas de gênero, orientações, nomes ou linguísticas.

o que eu quero saber é:

  • alguém aqui usa um monte de rótulos/conjuntos, a ponto de poder se considerar drake/colecionadore/etc.?
  • se sim: usa algum termo pra isso, ou só tem uma lista grande de termos e pronto?
  • essa quantidade de termos tem a ver com uma fluidez ou com uma experiência que cabe em vários rótulos diferentes?
  • como é essa experiência, em relação a reações alheias? é algo que vocês só contam em espaços mais íntimos, enquanto pro resto vocês simplificam? ou é algo que vocês reinvindicam em qualquer espaço onde uma pessoa com identidades mais simples também se revelaria?


Heart Acho q nunca vi um site melhor que este
Postagem por: LMAOlemão - 07-06-2022, 02:47 PM - Fórum: Identidades - Respostas (2)

Esse site realmente me ajudou demais para entender como e quem sou, sou eternamente grato! :)

Consegui me identificar como uma pessoa com orientação sexual Vóirique.


Quero saber se alguém também conseguiu se identificar nesse site Big Grin

Agora que estou vendo, não estou achando um emoji da bandeira vóirique. Onde posso encontrá-la?


Video Vídeo com relatos de experiências de gênero
Postagem por: Aster - 20-05-2022, 02:36 PM - Fórum: Identidades - Sem eespostas

Depois de mais de um ano em produção, o vídeo finalmente está disponível!

Arquivo em Nextcloud

YouTube

A versão do YouTube possui legendas!
Se alguém quiser baixar as legendas separadamente, elas se encontram aqui.


  Estou bastante confuso com a minha identidade de gênero.
Postagem por: Archie mello - 08-05-2022, 03:50 AM - Fórum: Questionando - Respostas (2)

Gente, eu preciso de ajuda.

Estou bastante confuso com a minha identidade de gênero. já pensei que eu pudesse ser demigenero, por não me sentir 100% homem e sempre me sentir meio neutro em relação ao meu gênero(o que seria demimasc). Porém, recentemente me veio a dúvida de que talvez eu fosse bigenero(homem e mulher), mas eu não tenho certeza se eu realmente me sinto como uma mulher. Eu prático ações que dentro da nossa sociedade, podem ser consideradas femininas. Tais como maquiar-me, usar vestido, etc. No entanto, eu não vejo como essas minhas ações podem fazer com que eu me sinta mulher e também entendo que é algo que pode ser considerado sexista. Outra possibilidade pra mim seria de que eu fosse androgine, pois há possibilidade de que o meu gênero seja algo entre homem e mulher, ou até mesmo uma mistura dos dois(isso me faz acreditar também que eu possa ser agenero ou gênero neutro).

Eu realmente preciso da ajuda de vocês, porque isso tem me dado muita dor de cabeça. :(


  Modelo de Nagoski sobre consentimento [ac: menção de ato sexual]
Postagem por: Uriel - 14-12-2021, 12:16 PM - Fórum: Geral - Respostas (1)

Quando se discute o consentimento na internet, apesar de possivelmente se ter em mente algumas situações mais complexas, é muito fácil cair na simplificação de que "não é não", o que, de forma lógica, acaba levando à conclusão de que "sim é sim". E isso, além de raso, por não conseguir explicar como o relacionamento entre ume adulte e ume menor de idade é problemático, por exemplo, pode não ser verdadeiro para a maioria dos casos analisados -- principalmente os que envolvem algumas pessoas da comunidade aro e/ou ace, as quais, mesmo não tendo nenhum interesse pessoal pelo ato sexual, estão dispostas a ser parte dele.

Tendo em mente a atualidade do assunto, compilei a referência mais completa que encontrei disponível na web, uma concebida por Emily Nagoski em 2011.


Em que se consiste o modelo de Nagoski?

Ele descreve o consentimento na seguinte escala:

ENTUSIÁSTICO: "Eu quero você", "eu não tenho medo das consequências decorrentes de concordar ou discordar", "eu sentiria que estou perdendo algo se negasse".

COM VONTADE: "Eu gosto de você, mesmo que não te deseje no momento", "eu espero me divertir se concordar e acho que talvez me arrependeria se negasse", "eu acredito que vou desejar mais depois de dizer sim".

CAUTELOSO: "Eu sinto, ao mesmo tempo, desejo e repulsa pela ideia de fazer sexo", "eu não tenho total certeza se desejo ou não fazer isso, mas quero tentar para ver como tudo ocorre", "eu não sinto pressão nem medo de dizer não", "você pede explicitamente o meu consentimento e me dá tempo para eu decidir".

RAZOÁVEL: "Eu concordo e tenho em mente as implicações do pedido", "eu não temo as consequências decorrentes de negar".

SEM VONTADE: "Eu tenho medo das consequências decorrentes de negar, mais do que das de concordar", "eu não só não sinto desejo como não espero sentir", "eu espero que, dizendo sim, você pare de me incomodar", "eu acredito que, se negar, você vai continuar insistindo".

FORÇADO: "Você me ameaçou de algo ruim se eu negar", "eu acredito que vou me machucar se fizer sexo, mas vou ficar mais machucade se não fizer", "dizer sim significa fazer uma coisa de que eu ativamente tenho medo".

     Observação - As partes do consentimento cauteloso e razoável originalmente não faziam parte do modelo; elas foram criadas por outras pessoas que acharam tal adição necessária.


– Link em português que resumiu postagens que agregaram ou discutiram o assunto: https://assexualorelhudo.wordpress.com/2...xualidade/

– Link adicional sobre como o BDSM, principalmente com a prática da discussão e do aftercare, torna o ato sexual mais saudável: https://lunalogy.wordpress.com/2020/06/06/433/


  Tradução: Nominações dentro de a-fluxo
Postagem por: Uriel - 14-12-2021, 09:56 AM - Fórum: Identidades - Sem eespostas

O que é a-fluxo?

É um termo para pessoas que variam entre sentirem e não sentirem atração em diferentes momentos, também podendo haver momentos onde ela varia entre atrações do espectro A (como demi, gray e fray). Originalmente, sua definição tinha a ver com vontade flutuante de realizar atos de certa natureza ao invés de ter a ver com a atração --  o que é abarcado pelo termo a-slide. A confusão entre a primeira definição e a atual se deu com o tempo, de modo provável, pela primeira falar tanto de "flutuar entre ser assexual/arromântique e não ser" quanto de "gostar de sexo/romance às vezes e ter repulsa por esse tipo de coisa às vezes", algo que não tem a ver com estar no espectro A ou não, e que acabou deixado de lado pela possibilidade de abarcar outra coisa.

A-fluxo difere de gray-a porque este diz mais respeito ao sentir interesse por poucas pessoas, enquanto a-fluxo diz mais respeito ao sentir interesse frequente por certos períodos de tempo e infrequente ou inexistente em outros. [ref.]


Quais as nominações dentro de a-fluxo?

    - ALTEROUSFLUX: atração alternativa

Alguém cuja orientação flutua, mas sempre permanece no espectro analternativo – com, por exemplo, um dia sendo demialternative, outro akoialternative e no dia seguinte analternative de novo. Resumidamente, define uma fluidez que varia em experimentar atração alternativa, alguma atração alternativa e/ou nenhuma atração alternativa.

Certas pessoas que se identificam com o termo se sentem como aloalternativas algumas vezes, enquanto as demais não. Além de poderem ter sentimentos de repulsa, indiferença/neutralidade/apatia ou favorabilidade por atos alternativos, elas também podem possuir qualquer orientação sexual ou romântica. [mais.]


    - APLATONICFLUX: atração platônica

Alguém cuja orientação flutua, mas sempre permanece no espectro aplatônico – com, por exemplo, um dia sendo demiplatônique, outro akoiplatônique e no dia seguinte aplatônique de novo. Resumidamente, define uma fluidez que varia em experimentar atração platônica, alguma atração platônica e/ou nenhuma atração platônica.

Certas pessoas que se identificam com o termo se sentem como aloplatônicas algumas vezes, enquanto as demais não. Além de poderem ter sentimentos de repulsa, indiferença/neutralidade/apatia ou favorabilidade por atos platônicos, elas também podem possuir qualquer orientação sexual ou romântica. [mais.]


    - AROFLUX: atração romântica

Alguém cuja orientação flutua, mas sempre permanece no espectro arromântico  – com, por exemplo, um dia sendo demirromântique, outro akoirromântique e no dia seguinte arromântique de novo. Resumidamente, define uma fluidez que varia em experimentar atração romântica, alguma atração romântica e/ou nenhuma atração romântica.

Certas pessoas que se identificam com o termo se sentem como alorromânticas algumas vezes, enquanto as demais não. Elas podem sentir apatia ou repulsa em relação a atos românticos em alguns dias e podem ser extremamente favoráveis em outros. [ref.] [mais.]

          Aroslide

Alguém cuja vontade de ter um relacionamento romântico muda de intensidade, em quaisquer níveis entre repulsa, "tanto faz" e vontade forte de ter relacionamento romântico. Independe da orientação romântica.


    - ASENSUALFLUX: atração sensorial, ou sensual

Alguém cuja orientação flutua, mas sempre permanece no espectro assensual – com, por exemplo, um dia sendo demissensual, outro akoissensual e no dia seguinte assensual de novo. Resumidamente, define uma fluidez que varia em experimentar atração sensual, alguma atração sensual e/ou nenhuma atração sensual.

Certas pessoas que se identificam com o termo se sentem como alossensual algumas vezes, enquanto as demais não. Além de poderem ter sentimentos de repulsa, indiferença/neutralidade/apatia ou favorabilidade por atos sensoriais, elas também podem possuir qualquer orientação sexual ou romântica. [mais.]


    - ACEFLUX: atração sexual

Alguém cuja orientação flutua, mas sempre permanece no espectro assexual – com, por exemplo, um dia sendo demissexual, outro akoissexual e no dia seguinte assexual de novo. Resumidamente, define uma fluidez que varia em experimentar atração sexual, alguma atração sexual e/ou nenhuma atração sexual.

Certas pessoas que se identificam com o termo se sentem como alossexuais algumas vezes, enquanto as demais não. Elas podem sentir apatia ou repulsa em relação ao sexo em alguns dias e podem ser extremamente favoráveis em outros. [mais.]

          Aceslide

Significa mudar entre ter repulsa e ser favorável a sexo (e/ou qualquer coisa nesse eixo). Este termo geralmente é algo à parte da orientação, já que querer certos atos ou relacionamentos não necessariamente tem a ver com atração. [mais.]


  Tradução: Modelo ARC
Postagem por: Uriel - 14-12-2021, 09:09 AM - Fórum: Identidades - Sem eespostas

O modelo ARC (Avesse, Repulsive e Conflitante)

ARCSEXUALIDADE: O termo geral para uma pessoa que sente aversão, repulsa ou conflito no que diz respeito ao sexo.

ARCROMANTICIDADE: O termo geral para uma pessoa que sente aversão, repulsa ou conflito no que diz respeito ao romance.

ARCFLUXO: Os sentimentos de aversão, repulsa ou conflito flutuam por diversas razões.

-CARNAL: O sufixo utilizado para descrever tais sentimentos de aversão, repulsa ou conflito.

ACARNAL: Alguém indiferente ao sexo e/ou ao romance.

ANTICARNAL: Quem é sexo-repulsive e/ou romance-repulsive; que apresenta uma reação muito forte de desgosto, negatividade, etc. no que diz respeito ao sexo e/ou ao romance.

PROCARNAL: Alguém completamente inclinado para sexo e/ou para romance.

DISCARNAL: Quem é sexo-avesse e/ou romance-avesse, contrário à ideia. “Não durante o jantar e não enquanto eu estou por perto.”

ERISCARNAL: Alguém sexo-conflitante e/ou romance-conflitante. O prefixo vem da Deusa grega da discórdia, Éris.

REQUIESCARNAL: Os sentimentos de aversão, repulsa ou conflito estão vinculados a um cansaço emocional ou a um trauma, especialmente de violência sexual.

– Link original: https://kistensadi.wordpress.com/2014/12...onflicted/