• 0 votos - 0 média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Gêneros binários
#1
Gente, estou com uma dúvida sobre algo que estava me questionando, pode ser meio tosca, mas la vai:

O que define alguém Homem ou Mulher?

Pergunto isso pois existem muitos homens e mulheres diferentes, homens que se vestem de mulher mas ainda assim se consideram homens, homens que usam maquiagem, usam salto alto e homens que seguem o "padrão" ridiculo de "homem macho alfa" a minha dúvida é aonde que termina o gênero binário "homem" ou "Mulher", pois existem homens e mulheres MUITO diferentes, isso sem contar as diferenças culturais entre homens e mulheres de países e regiões diferentes.

Esta questão me levou a um pensamento, de que talvez não deveria existir termo específico "homem" e "mulher" pois não temos como invalidar o gênero de alguém que se identifica com algum dos gêneros binários só por ele não seguir os "padrões" impostos pela sociedade de como deve ser um homem ou uma mulher.

Porém partindo deste preceito de que homem e mulher não serão mais termos adotados, fica meio nebuloso em minha cabeça, como iriam por exemplo classificar as pessoas em esportes masculino ou feminino, teria que ser adotado algum outro modo de classificação, como peso pena, leve, pesado, etc ignorando os gêneros?
  Responder
#2
O sistema de gênero é algo que simplesmente... existe. Foi algo construído em diversas sociedades, geralmente por conta de algum tipo de organização, e assim, gêneros binários correspondem a arquétipos que estão presentes no imaginário social, ainda que possam ser diferentes de acordo com a experiência de vida de cada ume.

Não ter um gênero não é algo aceito socialmente. Ainda que pessoas cis não precisem se importar em obedecer estereótipos de gênero, uma pessoa deixa de ser cis se quer ativamente rejeitar gênero (e não só normas ou estereótipos).

Muitas pessoas não são cis não porque não se encaixam em estereótipos, ou porque se identificam com estereótipos relacionados a outro gênero, mas sim porque não se sentem confortáveis quando outras pessoas assumem que são do seu gênero designado, quando outras pessoas assumem que sua linguagem é ligada com seu gênero designado, quando outras pessoas consideram que são do seu gênero designado para propósitos de atração.

E, a partir disso, vão ter pessoas que vão preferir/se identificar com o outro gênero binário, vão ter pessoas que não veem como se encaixariam em nenhum gênero, vão ter pessoas que gostariam de ter algo para se identificar (o seu próprio arquétipo, digamos) mas que não quer atar ele aos gêneros binários, ou quer deixar ele próximo aos gêneros binários.

Tem várias analogias mais alegóricas, que talvez possam ajudar. Aqui tem uma, do @vitorrubiao: http://umgarotoalternativo.blogspot.com....enero.html

  Responder
#3
Minha interpretação desse tópico:

Bom, pra começo de conversa, os gêneros binários são impostos de acordo com o tal sexo biológico. Então dentro dessa visão cisnormativa da sociedade, quem é do "sexo masculino" (XY, níveis altos de testosterona, testículos e pênis) é homem e quem é do "sexo feminino" (XX, níveis altos de progesterona e estrogênio, ovários e vulva) é mulher. Pessoas intersexo são desumanamente encaixadas de um desses gêneros de alguma forma.

Junto com esses gêneros impostos vêm as noções sociais de longa data, os famosos estereótipos e os papéis de gênero. Isso tudo tem a ver com o comportamento.

Então até aqui, nesse monte de normatividades, o ser homem e o ser mulher são definidos por corpo e comportamento.

Agora, o ser humano é muito complexo e acho que nunca conseguiu seguir perfeitamente e a vida toda esses padrões biológicos e comportamentais. Essas normatividades são furadas porque nem o sexo é binário, e mesmo os perissexos podem ter variações entre si. E sempre houve homens e mulheres pra questionar os comportamentos, mesmo quando 99% do meio os aceitava sem questionar.

Enfim, meu ponto aqui é que homem e mulher estão se tornando identidades tão subjetivas quanto os gêneros não-binários. Cada vez mais teremos homens e mulheres com expressões de gênero diferentes do esperado, que rejeitam os papéis de gênero, querendo se comportar da maneira que acham melhor e mais saudável, etc.

Ah, e como essas identidades estão sendo questionadas e até reconstruídas, acredito que a tendência é essas separações (por exemplo, no esporte) acabarem. O problema não é o homem e a mulher, e sim como a sociedade trata esses gêneros. Por isso não acho que homem e mulher precisam "deixar de existir". Lutar contra a cisnormatividade não é querer acabar com os gêneros binários, é querer acabar com as imposições de gênero. É isso.
àO
  Responder
#4
Aaaaah, entendi, então não é [palavra estigmatizada capacitista] minha, realmente é algo muito subjetivo e em constante alteração, muito obrigado gente <3
  Responder
#5
É empirista, o que significa que pode ser auto-interpretativo, podendo também ser inatista e bioessencialista.

Uma mulher pode dizer que a sua mulheridade é ser guerreira, batalhadora, corajosa, etc. Podendo soar capacitista.
Outra pode falar frágil, provedora, etc. E soar machista.

Lembre-se, socialização e expressão de gênero são coisas diferentes, uma é externa e outra internalizada. Pode soar aparentista (unatractifóbico / discriminação estética) e de certa forma gordofóbico, falar que vc quer emagrecer pra parecer mais masc/andro, ou tirar seu pomo pra parecer mais fem/gine, mas ambas as coisas são asseguradas pela transgeneridade.
  Responder
#6
Que post legal. A principio é sobre identidade de genero, homem e mulher, uma relacionada a masculinidade e outra a feminilidade, e nao sobre expressão de gênero como ja esclareceram. Isso significa dizer também que se por exemplo alguém achar algo feminino ou muito feminino e “adulto”, ela pode tratar aquilo como coisa de mulher. Sinônimo sabe, tipo quando você diz “homem que se veste de mulher”… Acho que tanto a identidade homem como mulher possuem essa característica de serem gêneros não muito flexíveis tendendo a ser algo muito fixo. Mas agora o indivíduo que se identifica com esses gêneros, aí já é outra questão, e isso vai lembrar essa tua fala de “homem que veste de mulher e você versa”: Judith Butler coloca da seguinte maneira :

1- Sujeito

Para Butler, o sujeito não é preexistente; ele é sujeito-em-processo constituído no discurso e pelos atos que executa. Este sujeito, portanto, se constrói e destrói o tempo todo. É, assim, instável e poroso, sem lugar fixo no mundo. Isto significa dizer que o sujeito é um construto performático. (mais).

Portanto, só dando uma idéia, é como na astrologia, não é porque você nasce têm o posicionamento do sol em tal signo, que você deixou de um ser humano, plural, complexo, bio psico social, kk, ou ser o próprio signo em si, e infelizmente esse é um tipo de interpretação muito comum. Por isso as pessoas forjam demência quando alguém se diz homem, ou mulher, nao-binarie. No sistema binarista funciona assim. Você deve ser apenas isso ou aquilo. Inteiramente isso ou aquilo, toda hora, exclusivamente. O que eu quero dizer é que podemos ser homem e mulher ao mesmo tempo, uma hora homem ou mulher, ou homem/mulher e algo fora dessa binariedade porque antes disso somos seres humanos (homem no passadovera equivalente à humane). E uma pequena análise historica também seria legal pra entendere melhor a questão. Eu começaria pela etimologia dos generos homem e mulher, que têm origem no latim, e variando entre gêneros binários diferentes de outros países/idiomas como femme, homme, men, woman,uomo, donna, ánthropos, gynaíkes etc.
  Responder


Possíveis tópicos relacionados...
Tópico: Autore Respostas: Visualizações: Última mensagem
  Quais são esses gêneros? OctolinGamer 1 520 24-10-2019, 11:34 AM
Última mensagem: Aster
  Adjetivos para Qualidades de Gênero/Gêneros Bases danicamel 14 1.548 05-07-2018, 05:53 PM
Última mensagem: danicamel
  [pergunta potencialmente ofensiva, malz] Por que tantos gêneros espaciais? altedude 4 605 25-01-2018, 09:19 AM
Última mensagem: danicamel

Saltar para a área:


Usuáries vendo este tópico: 1 visitante(s)